Ceratocone
O diagnóstico de ceratocone pode provocar grande impacto no paciente e em sua família, já que acomete desde crianças com progressão em media até 34 anos. é reconhecido como uma das causas mais comuns de transplante de córnea. Entretanto, devido aos avanços relacionados com o diagnóstico mais precoce da doença e da evolução das formas de tratamento clínico e cirúrgico, é notória a redução dos transplantes de córnea devido a ceratocone.
 
A doença tem caráter progressivo e requer acompanhamento. O ato de coçar dos olhos está diretamente relacionado com a sua progressão. A primeira linha de tratamento são os óculos. A adaptação de lentes de contato especiais é a alternativa que proporciona melhor correção óptica. Entretanto, não existem evidências que suportem que o uso de lentes de contato beneficie tais pacientes por reduzir a chance de progressão da ectasia. Por outro lado, já se demonstrou que lentes de contato mal adaptadas estão diretamente relacionadas com aceleração da progressão da doença.
 
 
TRATAMENTOS CIRURGICOS
O implante de Anel de Ferrara se apresenta como alternativa menos invasiva segura e eficaz no tratamento do ceratocone. A indicação do implante de segmento(s) de anel intra-estromal está portanto relacionada com a acuidade visual, caráter tomografico da córnea do paciente e estágio da doença devendo ser considerada como alternativa ao transplante de córnea. Estudos apontam com grandes taxas de sucesso a cirurgia em ceratocones iniciais e moderados.
 
A técnica de dissecção do túnel para implante de segmento(s) de anel intra-estromal pode ser realizada de forma manual, bem como assistida com laser de femtossegundo.
 
Crosslinking (CxL)
O procedimento visa aumentar a rigidez corneana, para estabilizar a biomecânica da córnea e reduzir a progressão da ectasia.
 
Alguns mitos foram colocados, como o de que o CxL é um tratamento para qualquer caso de ceratocone e que pode reverter a doença como um procedimento refrativo. Entretanto, apenas com resultados clínicos obtidos em estudos adequadamente realizados, foi possível determinar as reais indicações e limitações do CxL, bem como suas complicações e os meios para reduzir sua incidência.
 
Podemos notar em diversos trabalhos científicos, que o CxL é eficaz para estabilizar a progressão da ectasia. Entretanto, sobre a melhora da função visual, destaca-se que o CxL absolutamente não é um procedimento com objetivo refrativo primário. Adicionalmente, o CxL determina uma modesta melhora na acuidade visual que não ocorre em todos os casos.
 
Procedimentos Combinados
A foto-ablação (PRK) personalizada e o implante de Anéis de Ferrara (ICRS – Intra Corneal Ring Segments) são as técnicas mais utilizadas. Em ambos os tratamentos, os resultados são superiores com o CxL sendo realizado após o procedimento que visa a remodelar a córnea. No caso do PRK, a partir do protocolo descrito por Kanellopoulos o procedimento deve ser realizado no mesmo dia. O objetivo da ablação, que deve ser programada de forma personalizada para cada caso, não deve ser refrativo, mas de regularizar a córnea e reduzir o “astigmatismo irregular”. Os resultados ainda são preliminares e não permitem conclusões, mas certamente é uma alternativa promissora pois a aplicação da termoceratoplastia no cone tem uma capacidade de aplanamento muito elevada.
 
 
Cirurgia Refrativa a Laser >
< Catarata